PESQUISAS OBJETIVAS

(Não dê voltas cansativas! Vá direto ao assunto; consulte o Almanaque Pridie Kalendas)

(Pular a introdução)


Há muito que o almanaque "Pridie Kalendas" queria reformular as suas páginas de pesquisas sobre os calendários; muitas interrogações, centenas de e-mails's recebidos, sem dúvida alguma, foram os balizadores e incentivadores para dinamizarmos um serviço que fazemos com muita satisfação. Antes de seguirmos, com a devida permissão dos Amigos, apreciaríamos que considerassem as seguintes definições:

Tempo e Espaço são duas idéias que se correspondem. Alcançando ambas o infinito, assim como no espaço precisamos pontos de referencia para nos apercebermos da situação dos objetos, também no tempo os precisamos para termos a noção da relatividade dos acontecimentos.

DATA é a relação cronológica dos fatos referidos a uma época em que se deu um acontecimento notável tomado para ponto de partida, e ao número de anos em que esse acontecimento se deu.

Para se formar idéia clara do tempo em que um fato teve lugar, não basta dizer-se que foi em tal dia de tal mês; esse fato só está datado quando referido a uma época conhecida em que teve lugar outro fato muito notável.

ÉPOCA - em cronologia é uma parte do tempo passado - dia, mês ou ano - em que se deu um acontecimento tão notável que foi tomado para ponto fixo desde o qual se conta o tempo em que se dão ou deram, quer antes, quer depois, outros acontecimentos.

Os astrônomos servem-se de certos acontecimentos naturais ou fenômenos a que se referem os seus cálculos, como as revoluções da Lua, os equinócios e solstícios, os eclipses, a passagem dos cometas, etc., os cronologistas e historiadores, servem-se também de certos acontecimentos que tiveram influência sobre o gênero humano.

Designam-se as épocas enunciando os fatos notáveis a que se referem: Criação do Mundo, Fundação de Roma, Nascimento de Cristo, etc.

Primitivamente, os tempos calculavam-se em gerações: a Bíblia conta dez gerações antes do Dilúvio e outras dez desde o Dilúvio e outras dez desde o Dilúvio à vocação de Abraão.

Três gerações, segundo Heródoto (Grego considerado o Pai da História) e a maior parte dos autores, somam 100 anos.

Posteriormente, no século VIII, introduziu-se o uso das eras.

ERA é o número de anos civis de um povo que vão decorrendo desde uma época notável, tomada para ponto de referência, e que dá o nome à era adotada.

Quanto à etimologia da palavra era, fazem-na uns derivar do grego, mas a maior parte do latim, e destes, dizem uns ser a contração das iniciais A. E.  R . A encontradas nos monumentos antigos e que significam Annus Erat Regni Augusti (era o ano do reinado de Augusto) ou Ab Exordio Regni Augusti, palavras pelas quais se designava a era de Espanha e significavam : "Do começo do reinado de Augusto"; outros dizem derivar da palavra latina aes, aeris (bronze), porque das medalhas e moedas desse metal se deduzia a data do acontecimento notável que serviu de começo a uma serie de anos.

As palavras era e época, tendo certa relação entre si, são contudo, bem distintas: era, é o número de anos decorridos desde certo acontecimento notável; época é o momento desse acontecimento.

Sendo certo que para este intuito todos os instantes se poderiam escolher, nenhum, porém, seria mais apropriado e natural do que o próprio começo do tempo, isto é: o instante do ponto de partida da primeira volta da Terra em torno do Sol, no princípio do Mundo. E decerto, todos os povos tomariam este instante se tivesse sido possível determiná-lo. Não o sendo, cada povo adotou uma era: a dos Judeus funda-se na criação do Mundo , segundo o Gênesis; a dos antigos Romanos, na fundação da sua capital; a dos Gregos, no estabelecimento dos jogos Olímpicos; a dos Egípcios, na subida de Nabonassar, primeiro rei da Babilônia, ao trono daquele Império; a dos Seleucidas, donde os Macedônios começavam a contar, no reinado de Seleuco, o Grande, chamado Nicator; a era vulgar, erradamente, no nascimento de Cristo; a dos primitivos cristãos, chamada era dos Mártires, do governo de Diocleciano; etc.

Sendo a era cristã, sob a denominação de era vulgar, a mais empregada, serve de termo médio e de comparação das outras, as quais se podem classificar em eram antigas, as anteriores à era vulgar, e eras modernas, as posteriores.

As eras serão amplamente comentadas em: Principais Eras e Respectivas Conciliações

PESQUISAS OBJETIVAS

 

Calendário Gregoriano

 

Calendário Islâmico

 

Calendário Judaico

 

Compilações Diversas

 


Voltar