ALMANAQUE PRIDIE KALENDAS APRESENTA

 


 

 

 


1 ) ABRAÃO ZACUTO
O Pridie Kalendas abre este espaço, para divulgar feitos de personagens que foram muito importantes para o desenvolvimento científico, porém, por razões diversas, ficam fora das citações menos especializadas. Por exemplo, Abraão Zacuto foi de uma importância transcendental para  Portugal e, evidentemente para as grandes descobertas, fatores que interessam muito especialmente a nós brasileiros. Enfim é um resgate; uma oportunidade para os nossos visitantes conhecerem um pouco dessas ilustres personalidades delegadas a um plano de bastidores, neste grande teatro dos feitos mirabolantes desses verdadeiros gênios inesquecíveis.

Almanach Perpetuum, primeiro almanaque impresso em Portugal por Abraão Zacuto no séc.XV, até aos nosso dias.

Astrolábio de metal inventado por Zacuto

Zacuto e Colombo

Medalha com a estampa dos três homens que tornaram a viagem de Colombo possível: Zacuto, Abravanel e Santangel

As imagens foram obtidas de:

Abraham Ben Samuel Zacuto III

Talmud Translated

This first English translation of the great Hebrew classic,the medieval history of Jews by Rabbi Abraham Zacuto, made possible by the benevolent generosity of the author’s direct descendant in 25th generation, Dr Vlad Rosenblit of Baku. As our Sages of Blessed Memory taught: Maasei Avoth siman lebanim, The [great] deeds of ancestors are the guidance for descendants. 

Sob várias designações, mas cumprindo sempre a função primordial de guia para a organização do quotidiano, os Almanaques, Folhinhas, Repertórios, Calendários Perpétuos, Sarrabais, Diários Eclesiásticos... têm sido publicados desde o final do séc. XV - ocasião em que foi editado em Portugal o Almanach Perpetuum de Zacuto - até aos nossos dias.

A grande explosão em gênero e número destas publicações verificou-se no séc. XIX, altura em que passam a abarcar uma maior gama de público e em que nomes como Ramalho Ortigão e Eça de Queirós , entre outros, deram o seu contributivo literário a este tipo de publicações.

É desse percurso, sobretudo dos mais significativos almanaques portugueses existentes nas coleções da BN, que se fará a mostra, a inaugurar em Abril próximo, altura em que também será lançado o catálogo onde se encontram descritos os títulos existentes na Biblioteca Nacional de Portugal .

" Na realidade quem foi Zacuto, esse mestre de um dos mais importantes astrólogos de D. João II, ele próprio astrólogo do Príncipe Perfeito pouco depois da sua chegada ao reino, e que participação teve na vida portuguesa, e em particular no desenvolvimento da Náutica dos Descobrimentos?
     Admite-se que a sua juventude e educação tivessem tido lugar em Salamanca, sendo discípulo de seu pai, e do famoso sábio judeu Isac Aboab. E também que, mais tarde, devido unicamente aos seus grandes conhecimentos de astronomia, tenha sido professor da então muito prestigiada Universidade de Salamanca. No entanto, apesar do prestígio científico de que gozavam muitos dos membros da comunidade judaica e do grande impulso que em geral imprimiram à sociedade espanhola do seu tempo, os Reis Católicos expulsaram os judeus de Espanha em 1492. É assim que Zacuto entre em Portugal.
     O seu Hajibbur Haganol, nome hebraico do Almanaque Perpétuo, significando compilação magna, foi escrito em hebreu ainda na cidade de Salamanca. As tábuas foram calculadas para 1473 (ano raiz) devendo o texto do Almanaque ter sido escrito entre essa data e 1478, ano ao qual o autor faz várias referências ao longo do texto. O livro foi reeditado em Leiria em 1496 e a tradução do Almanaque Perpétuo do hebreu para o latim e do latim para castelhano esteve a cargo de Mestre José Vizinho que foi discípulo do autor. Crê-se que Vizinho terá colaborado na adaptação da obra para a edição de Leiria.
     Não é um livro teórico de astronomia tratando das órbitas dos corpos celestes e das suas relações com alguns círculos e linhas inscritas nas esferas celeste e terrestre, mas antes um livro que reproduz o movimento dos astros por referência a determinadas coordenadas astronômicas designadas por efemérides.
     Durante os poucos anos que permaneceu em Portugal, Abraão Zacuto prestou à causa náutica portuguesa relevantes serviços. Foi com base nos valores do seu Almanaque que em Portugal se estabeleceram, de forma científica, os métodos astronômicos de posicionar os navios no mar e de conhecer na sua verdadeira forma e dimensão os oceanos e os continentes. Foi com base na correção dos valores do Almanaque Perpétuo e no rigor das observações astronômicas dos seus pilotos, que os portugueses abriram os caminhos do mundo.

Texto condensado a partir do original de Victor Crespo em:

ABRAÃO ZACUTO E A CIÊNCIA NÁUTICA DOS DESCOBRIMENTOS  PORTUGUESES

Sábio judeu, grande astrónomo. 

N. em Salamanca em 1450, aproximadamente, e fal. em 1510. 

Foi catedrático de astronomia na Universidade da sua terra natal, e mais tarde na de Saragoça o em Cartagena. Quando os judeus foram expulsos do Espanha veio para Portugal, onde teve grande valimento junto de D. João II e principalmente de D. Manuel, de quem foi cronista e astrônomo. Atribui-se à sua influência para com el-rei D. Manuel, a carta de alforria que este monarca no princípio do seu reinado, concedeu aos judeus. Auxiliou com os seus conselhos a expedição de Vasco da Gama, e inventou alguns instrumentos náuticos. Quando se deu a expulsão dos judeus em Portugal, procurou segurança em Tunis, mas viu-se reais tarde obrigado a fugir para a Turquia, onde morreu. 

Escreveu o Bi'ur Luhot que foi traduzido pelo seu discípulo José Vizinho com o nome do Almanach perpetuum. A sua obra mais importante, intitulada: Sepher Juchasin (Livro das linhagens), foi pela primeira vez impressa em Constantinopla, no atino de 1566, e nela se encontram curiosas notícias a respeito da história religiosa da nação dos israelitas e a respeito dos rabinos que viveram até 1500 e dos violentos ataques contra o cristianismo.

 ranscrito por Manuel Amaral

Abradjin- Associação Brasileira dos Descendentes de Judeus da Inquisição

Rabinos Cientistas na Época Medieval

Os Descobrimentos Portugueses

Dois Astrolábios

 

Concluindo a matéria, recomendamos um acesso ao:
A ODISSEIA DOS JUDEUS PORTUGUESES!
Por Manuel Luciano da Silva, Médico com diapositivos coloridos.

2 ) SIR FRANCIS BACON
Sir Francis Bacon, Barão Verulam, Visconde de St. Albans, eminete Imperator dos Rosacruzes. Francis Bacon nasceu em Londres, no dia 22 de janeiro de 1561. Conquistou posições muito elevadas no governo britânico e foi, secretamente, representante de muitos altos oficiais, e, com frequencia, forçado a assumir a responsabilidade e a culpa daqueles cuja reputação devia salvar. Durante anos, seus não simpatizantes acreditavam nas iniquidades a ele atribuídas e que ele próprio não se preocupou em negar, para evitar maiores explicações. Sua produção intelectual foi vasta e variada. Suas mais famosas obras foram: New Atlantis (Nova Atlândida) onde faz a descriçao de um Estado ideal, onde todas as suas idéias científicas são aplicadas, em Novum Organum, onde descreve seu novo método de pesquisa.

Fonte do texto: AMORC Cultural- Primeiro exemplar- set/outubro/1999

Caixa Postal 4450 - 82501-970- Curitiba- PR

Fonte da Imagem

Sir Francis Bacon's
New Advancement of Learning

FRANCIS BACON'S NEW ATLANTIS :

A Foretaste of

The Sciential Society;

by

Harvey Wheeler;

FRANCIS BACON (1561-1626)

The Works of Sir Francis Bacon

3) OMAR KHAYYAN

Born: 18 May 1048 in Nishapur, Persia (now Iran)
Died: 4 Dec 1131 in Nishapur, Persia (now Iran)

Medieval Sourcebook:
Omar Khayyam (d. 1123 CE):
The Rubaiyat, c. 1120

 

ANTOLOGIA POÉTICA-

Neste "site", http://www.arabiannights.org/, encontram-se em Inglês as versões completas do Rubaiyát dos autores Edward FitzGerald e E. H. Whinfield com excelentes ilustrações.

O "site" é excelente e vale a pena ser visitado.
Nele se encontram também todas as peças de Shakespeare, a Divina Comédia de Dante e outros autores da Literatura Universal.

 

 

4) HENRY CAVEDISCH

5) FLÁVIO JOSEFO

CAP. I
JERUSALÉM ANTES DA REMODELAÇÃO DE HERODES
(C. Ap.)