ALMANAQUE PRIDIE KALENDAS APRESENTA

CONTABILIDADE BÁSICA, CONCILIAÇÃO BANCÁRIA. ESPANTE O FANTASMA DO DÉBITO E CRÉDITO

 


 

 

I ) Exposição de Motivos:- Mesmo que você, em sua escola, faça um excelente curso de contabilidade (básica) - e certamente os mestres, neste particular, são extremamente competentes para isso, - ainda assim não escapará de algumas armadilhas ao longo da sua trajetória profissional; boys, auxiliares, secretárias, tesoureiros de clubes, igrejas, etc., evidentemente não habilitados profissionalmente, mas com incumbências delegadas (assistidos por profissionais credenciados pelo CRC *), muitas vezes cometem erros considerados bisonhos.

Por mais paradoxal que possa parecer, na sua grande maioria, esses erros são provenientes das experiências caseiras com o tratamento das contas; poucos são os cidadãos hoje em dia que não tem uma ou mais contas com os estabelecimentos bancários; o mais incrível é que o fazem com acertos monetários, dificilmente errando nos cálculos, mas conceitualmente com um entendimento falho que permanece ao longo da vida.

O objetivo deste trabalho é tentar eliminar de vez qualquer ato falho de interpretação contábil que se relacione e interligue a contabilidade do banco com a sua, seja domestica ou mesmo empresarial.

Para tanto, vamos eliminar ao máximo a tecnicidade, sem descaracterizar os princípios contábeis que são indissociáveis; por analogia, vamos dedilhar o piano, com uma só das mãos, procurando as notas que nos dão a sensação da musica escolhida. Evidentemente, guardando-se as devidas proporções.

 

II ) Extrato Bancário:- Deixando de lado o aspecto jurídico, ou seja, a relação jurídica entre o banco e o seu cliente, o extrato bancário é um impresso comum, refletindo os valores transacionados pelo estabelecimento de crédito, em determinado período; o saldo (devedor ou credor) representa respectivamente as responsabilidades mutuas entre o cliente e o banco.

Fixe o seguinte na sua mente: o extrato bancário é o formulário que expressa a movimentação do cliente em seu estabelecimento, ou seja, reflete os movimentos sob o ponto de vista única e exclusivamente do banco.

Por exemplo, uma conta tradicional (conta movimento ou poupança), na contabilidade do banco é uma conta considerada PASSIVA, ou seja, os saldos representam obrigatoriedade do banco; uma conta considerada ATIVA, representa os valores a receber do estabelecimento bancário. Em um raciocínio simplista, o equilíbrio entre o Ativo e Passivo, cujos valores são idênticos, representa um balanço zerado, nem lucro nem perda.

III ) Teoria das Contas (Um aperitivo):- Adiante,  a teoria das contas será mais esmiuçada, por ora, vamos a uma breve explicação. Seja do ponto de vista de um estabelecimento de crédito ou de um cliente, na sua contabilidade, uma conta considerada de origem passiva, cresce quando é creditada é decresce quando e debitada. Por outro lado, uma conta considerada ativa, cresce quando é debitada e decresce quando creditada.

Nas chamadas Contas de Resultados, as contas devedoras crescem quando debitadas e as credoras também crescem quando creditadas; exemplo de conta devedora: conta de consumo de luz ou água; conta credora: juros recebidos.

Do exposto, aprendemos que sob o ponto de vista contábil, o débito e credito comportam-se de forma diferente em contas: ativas, passivas e de resultados (devedoras ou credoras).

Por incrível que pareça, essa metodologia é o verdadeiro "pulo do gato"; compreendendo bem a técnica, o caminho está aberto para novas descobertas.

Difícil? Como dizem: " É mamão com açúcar". Exagero? Vocês atestarão isso nos itens subseqüentes.

IV ) Voltemos ao Extrato Bancário:- Nesta oportunidade, vejamos um exemplo hipotético de um extrato, somente considerando débitos, créditos e saldo, em uma apresentação tradicional::

EXTRATO PARA SIMPLES CONFERENCIA - BANCO ASTRONAUTA S/A
CONTA MOVIMENTO NÚMERO 23.458 DE JUNHO DE 2011
DATA HISTÓRICO DÉBITO CRÉDITO SALDO EM R$
31/05/2011 Saldo anterior     1.000,00
01/06/2011 Cheque número 010 200,00   800,00
02/06/2011 Depósito em dinheiro   300,00 1.100,00
03/06/2011 Despesa bancária conf. comprovante 5,00   1.095,00
06/06/2011 Cheque número 011 400,00   695,00
07/06/2011 Pagto duplicata em nosso poder 08796 250,00   445,00
08/06/2011 Cheque número 012 425,00   20,00
08/06/2011 Deposito em dinheiro   700,00 720,00
30/06/2011 Juros s/ recebimento de titulo - Doc 2356   4,20 724,20
30/06/2011 Saldo do mês de Junho 724,20

V ) Vejamos na contabilidade da ABC Peças e Serviços Ltda a situação contábil:-

ABC PEÇAS E SERVIÇOS LTDA
BANCO ASTRONAUTA S/A - CONTA MOVIMENTO NÚMERO 23.458
DATA HISTÓRICO DÉBITO CRÉDITO SALDO EM R$
31/05/2011 Saldo anterior     1.000,00
01/06/2011 Cheque número 010 pagto a fornecedor   200,00 800,00
02/06/2011 Deposito em dinheiro 300,00   1.100,00
03/06/2011 Despesa bancária conf. comprovante   5,00 1.095,00
06/06/2011 Cheque número 011pagto a fornecedor   400,00 695,00
07/06/2011 Pagto dupl. 08796 em poder do Bco Astronauta   250,00 445,00
08/06/2011 Cheque número 012 pagto Pintores   425,00 20,00
08/06/2011 Deposito em dinheiro 700,00   720,00
30/06/2011 Cheque número 013 pagto a fornecedor   300,00 420,00
30/06/2011 Saldo do mês de Junho 420,00

A inversão dos débitos e créditos que vemos nos dois razonetes acima não é algo que fuja da lógica, pelo contrário, faz parte da sistemática contábil; recapitulemos o que já estudamos no inicio. A conta do banco Astronauta S/A, espelhada no extrato, é uma conta de origem passiva, ou seja, de obrigação do banco com o seu cliente ABC PEÇAS E SERVIÇOS LTDA; em contrapartida, a segunda conta escriturada na empresa ABC PEÇAS E SERVIÇOS LTDA. é de origem ativa, ou seja, de direitos da empresa com o banco do exemplo.

Em síntese, se quisermos escriturar bem, mesmo sem sermos exímios em contabilidade, seja numa conta caseira ou como ajudante administrativo, devemos também lançar os débitos e créditos conforme apresentados acima. Procedendo como o extrato sugere, é evidente que o resultado, como se diz, "bate", mas os prejuízos técnicos, mesmo aparentemente intangíveis, são muitos. Como veremos adiante, em um simulado,  as contrapartidas da conta movimento do exemplo acima,

VI ) Conciliação das contas:- Nas empresas consideradas de médio porte para cima, geralmente antes dos chamados fechamentos,  é aconselhável que haja uma conferencia das contas, ou como são designadas pelos especialistas: Conciliação das Contas. Algumas multinacionais, por exemplo, mantêm em seus quadros funcionários especialistas (conferentes de contas) que permanentemente efetuam esse trabalho; geralmente são contabilistas experientes que são autorizados a emitirem minutas de lançamentos que são enviadas para o processamento contábil.

Nessas organizações, alguns desses conferentes são treinados para serem auditores juniores; não raro, pela experiência e pelo conhecimento dos meandros e sutilezas da empresa, também são escalados pela Auditoria Interna para auxiliarem nos trabalhos preliminares da Auditoria Independente ou Externa.

No nosso exemplo constatamos que há uma diferença entre o extrato bancário e a nossa escrituração; no caso, é um cheque ainda não apresentado e um lançamento de credito não informado pelo sistema.

Utilizando um fac-símile geralmente aceito, vamos ver como fica uma conciliação baseada no nosso exemplo:

Do saldo contábil para o bancário

ABC PEÇAS E SERVIÇOS LTDA.

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FOLHA DE CONCILIAÇÃO BANCÁRIA

MÊS:

ANO:

 JUNHO

 2011

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BANCO: ASTRONAUTA S/A

Nº CONTA CORRENTE:

1.1.01

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

I - SALDO EM:

30/06/2011

420,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

II - IMPORTÂNCIAS DEBITADAS PELA ABC E NÃO CORRESPONDIDAS PELO BANCO

 

 1- DEPÓSITO EFETUADO EM:

 

  

 

 2 - DEPÓSITO EFETUADO EM:

 

 

 

(DEDUZIR)

TOTAL

                                      -  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

III - IMPORTÂNCIAS CREDITADAS PELA ABC E NÃO CORRESPONDIDAS PELO BANCO

 

1. CHEQUE Nº

013 - Pagamento a fornecedor

DE

30/06/2011

300,00

 

2. CHEQUE Nº

 

DE

 

 

 

3. CHEQUE Nº

 

DE

 

 

 

 

 

DE

 

 

 

(ADICIONAR)

 

TOTAL

 R$       300,00                        

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IV - IMPORTÂNCIAS DEBITADAS PELO BCO E NÃO CORRESPONDIDAS  PELA ABC

 

1 - AVISO DE DÉBITO Nº

 

DE

 

  

 

2 - AVISO DE DÉBITO Nº

 

DE

 

 

 

3 - AVISO DE DÉBITO Nº

 

DE

 

 

 

(DEDUZIR)

 

TOTAL

 R$                                -  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

V - IMPORTÂNCIAS CREDITADAS PELO BCO E NÃO CORRESPONDIDAS PELA ABC

 

1 - AVISO DE CRÉDITO Nº

 Doc. 2356

DE

30/06/2011

   4,20

 

2 - AVISO DE CRÉDITO Nº

 

DE

 

 

 

3 - AVISO DE CRÉDITO Nº

 

DE

 

 

 

(ADICIONAR)

 

 

TOTAL

 R$                                - 4,20

 

VI - SALDO EM :30/06/2011

 

CONFORME EXTRATO              R$

724,20

 

__________________________________________
VISTO CONTROLADORIA FINANCEIRA

 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VII ) Digrafograma de dupla entrada:- O digrafograma é um instrumento de apoio de grande utilidade na aprendizagem da contabilidade; no exemplo especifico, servirá para fortalecer a idéia de sempre utilizarmos os débitos e os créditos respeitando-se os principio da teoria das contas. Para um entendimento abrangente, adicionamos ao exemplo as contas: estoque, fornecedores, despesas gerais, receitas gerais e conta de resultado (serve para balancear as contas de despesas e receitas).

CAIXA (Ativa) BANCOS (Ativa) ESTOQUES (Ativa) FORNECEDORES (Passiva) DESP.GERAIS

(Devedora)

REC.GERAIS

(Credora)

DATA D C SALDO D C SALDO D C SALDO D C SALDO D C SALDO D C SALDO
31/5     5.000,00     1.000,00     2.800,00     2.800,00           6.000,00
01/6     5.000,00   200,00 (1) 800,00     2.800,00 200,00 (1)   2.600,00           6.000,00
02/6   300,00 (2) 4.700,00 300,00 (2)   1.100,00     2.800,00     2.600,00           6.000,00
03/6 4.700,00 5,00 (3) 1.095,00 2.800,00 2.600,00 5,00 (3) 5,00 6.000,00
06/6     4.700,00   400,00 (4) 695,00     2.800,00 400,00 (4)   2200,00     5,00     6.000,00
07/6     4.700,00   250,00 (5) 445,00     2.800,00 250,00 (5)   1950,00     5,00     6.000,00
08/6 4.700,00 425,00 (6) 20,00 2.800,00 1950,00 425,00 (6) 430,00 6.000,00
08/6   700,00 (7) 4.000,00 700,00 (7)   720,00     2.800,00     1950,00     430,00     6.000,00
30/6         300,00 (8) 420,00     2.800,00 300,00 (8)   1650,00     430,00     6.000,00
30/6                           430,00 (9) 0 6000,00 (10)   0
                                   
CONTA DE RESULTADO
DATA DÉBITO CRÉDITO SALDO (RESULTADO DO MÊS)
30/6 430,00 (9) 6000,00 (10) 5570,00
       

BALANCETE SIMPLIFICADO

CONTAS ATIVO PASSIVO
     
CAIXA 4.000,00  
BANCOS 420,00  
ESTOQUES 2.800,00  
FORNECEDORES   1.650,00
RESULTADO DO MÊS   5.570,00 (*)
     
TOTAL 7.220,00 7.220,00
     

Nota importante: as cores vermelho e azul aparecem no exemplo apenas para melhor visualizar.

(*) Guardando-se as devidas proporções, o saldo do Resultado do Mês pode-se comparar a conta Capital, ou com reservas ao Patrimônio Liquido; como percebe-se, sua função especifica é de equacionamento das contas.

VIII ) Reforçando Conceitos:-

Convenções para registro: débito e crédito em contas patrimoniais

Débito e crédito são palavras convencionadas para indicar se uma transação aumenta ou diminui o ativo, o passivo, e o patrimônio líquido de uma empresa.

Como o total de cada um desses componentes é formado pela soma de diversas contas, temos que os débitos e créditos indicam se o saldo de uma conta deve ser aumentado ou diminuído em função de uma transação.

A partir daí, podemos montar uma tabela bem simples:

Componentes                                                                       Variações

                                                           Aumenta por                       Diminui por

O ativo                                                               DÉBITOS                            CRÉDITOS

O passivo                                                           CRÉDITOS                          DÉBITOS

O patrimônio líquido                                             CRÉDITOS                         DÉBITOS

Recapitulando, sendo o Extrato Bancário, um espelho de uma conta passiva para o banco em relação às empresas, aumenta pelos créditos e diminui pelos débitos.

Sendo a conta de bancos, uma conta ativa para as empresas, aumenta pelos débitos e diminui pelos créditos.

Convenções para registro: débito e crédito em contas de despesas e receitas

Por convenção, as despesas e receitas provocam respectivamente diminuições e aumentos no patrimônio líquido. Dessa forma, a apuração dos débitos e créditos nas contas de despesas e receitas é feita de maneira semelhante para as contas do patrimônio, observando-se que:

a)     Um aumento nas contas de despesas representa uma diminuição no patrimônio líquido; dessa forma, as contas de despesas aumentam por débitos;

b)    Um aumento nas receitas representa um aumento no patrimônio líquido, o que significa dizer que as contas de receitas aumentam por créditos.

 

(*) CRC - Conselho Regional de Contabilidade
 

Autor: Pedro Detizio Junior

Auditor: 1SP072592/O-8

O artigo é totalmente livre e pode considerar-se de Domínio Público. Caso haja interesse, não necessariamente, ofereça um crédito (link)  para http://www.calendario.cnt.br


Voltar