CALENDÁRIOS

JUDAICO (Continuação)

 

3.2-O CALENDÁRIO JUDAICO PERMANENTE- CAJUPE

3.2.1- EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Caracteriza-se o Cajupe em ser, pelo aspecto operacional, uma Contribuição de Melhoria Sistêmica e, pelo aspecto legal (patente), um Modelo de Utilidade.

Contrariamente ao calendário gregoriano, que na sua essência prática é um calendário civil, com os eventos da religião católica subordinados aos Cômputos Eclesiásticos, o Calendário Judaico, além de civil, subordina-se profundamente aos preceitos religiosos; em síntese, o elo existente entre o calendário e as manifestações religiosas são indissolúveis.

Em razão disso, algumas ressalvas são necessárias.

O modelo que será apresentado, não substitui em hipótese alguma os calendários que sempre se caracterizaram, pelo alto grau informativo, pela beleza da figuras e visual estético e gráfico; não há como negar, contudo, que os chamados eventos "fixos"serão destaques no mesmo.

Embora permanente, o CAJUPE difere do CAPEPA, por não poder projetar fórmulas fixas; enquanto o ano gregoriano, baseia-se em uma fórmula matemática:

365 dias + 0,25 - 0,01 + 0,0025
ou
365,2425 dias

O calendário judaixo, mesmo tendo um ciclo de 19 anos, luni-solar, flexiona-se em períodos de 6.939, 6.940 e 6.941 dias, em séries descontinuadas, por ingerências especificamente religiosas.

Recorrendo a um têrmo mais técnico, guardada as devidas proporções, classificamos o calendário em epígrafe, do tipo PROLÉPTICO, palavra que diz-se quando um fato é fixado, segundo uma era ou método cronológico, ainda não conhecido quando se deu o fato.

Em palavras mais simples e, por si só, mais objetivas; o CAJUPE possibilita, após determinar-se qual o tipo de calendário pesquisado, a manipulação de todas as fórmulas ou variáveis existentes.

Em síntese, a função primordial será a conciliação entre os calendário judaico e gregoriano, possibilitando ao usuário, de uma maneira relativamente rápida, ter uma panorâmica, do ano vigente ou, dos anos passados ou vindouros.

Exemplo marcante, por assim dizer, é a finalidade que o usuário terá na localização das datas do IOR-TZEIT, uma justa e solene homenagem aos entes queridos já falecidos.

Nunca é demais lembrar ao prezado visitante, que o calendário gregoriano compõe-se de 14 fórmulas e o judaico de 6; por sua vez, quando os correlacionamos, considerando que o ano judaico pode ter o seu inicio de 3 de setembro a 6 de outubro, amplia-se bastante as variáveis existentes.

Para se ter uma idéia, quando estivermos manipulando o CAJUPE, ou pesquisando pela Internet, calendários on-line, ou mesmo programas adicionados ao nosso computador para consultas, correlacionado com o calendário gregoriano, o nosso Universo de variáveis é enorme: por exemplo, num período de 202 anos, de 5560 a 5761, temos 744 tipos de variáveis, sendo 152 delas não repetidas.

Como contribuição para eventuais estudos, disponibilizamos abaixo, uma tabela devidamente particionada com as resultantes do período analisado:

A) QUANTIDADE DE FÓRMULAS

Na correspondência do calendário judaico com o gregoriano, temos a possibilidade de manipular 744 tipos de calendário.

A1 C,D,E 12 fórmulas
A2 C,D,E 12 fórmulas
A3 C,D,E 12 fórmulas
A4 C,D,E 12 fórmulas
B1 C,D,E 12 fórmulas
B2 C,D,E 12 fórmulas
B3 C,D,E 12 fórmulas
B4 C,D,E 12 fórmulas
24 tipos X 31 dias (3 de setembro a 6 de outubro) = 744 tipos ou fórmulas
B) INCIDÊNCIAS EM 202 ANOS (5560/5761- 1799/1800- 2000/2002)
TOTAL PESQUISADO FÓRMULAS NÃO REPETIDAS FÓRMULAS REPETIDAS
A1 37 ANOS
26 11
A2 36 ANOS
27 9
A3 12 ANOS
12  
A4 43 ANOS
26 17

128

91 (71,09 %) 37 (28,91 %)
B1 22 ANOS
18 4
B2 22 ANOS
17 5
B3 10 ANOS
8 2
B4 20 ANOS
18 2
74 61 (82,43 %) 13 (17,57 %)

TOTAL GERAL 202 ANOS - 152 NÃO REPETIDOS (75,25 %)- 50 REPETIDOS (24,75 %)

A espinha dorsal do CAJUPE é a seguinte:

3.2.2- SISTEMA OPERACIONAL

ASPECTO FÍSICO DO CAJUPE

Basicamente, temos duas cartelas externas (frente/verso) e uma interna, também impressa nas duas faces.

As cartelas externas, com as respectivas impressões, são justapostas, como se fosse um envelope.

No corpo central da cartela externa, em ambos os lados, vários campos localizados logo abaixo dos dias judaicos, são transpassados por vazamentos longitudinais.

Esses espaços vazados, servirão de "janelas" às indicações da cartela interna, cujo deslizamento efetuado pelo usuário, até localização dos parâmetros, propiciará a leitura do ano pesquisado.

Nas partes superiores da cartela externa, duas tiras, com os dias da semana impressos, deslizarão no sentido longitudinal, até a localização dos indicadores específicos, tornando-se, a partir dai, fixas.

Fundamental, para a perfeita distinção dos números dos dias contidos na cartela interna (dias gregorianos), são impressos, no mínimo, em três cores, alternando-se de três em três meses, a saber:

janeiro
fevereiro
março
abril
maio
junho
julho
agosto
setembro
outubro
novembro
dezembro

CONTEÚDO DAS CARTELAS

CARTELA INTERNA (MÓVEL)

Estrategicamente dispostos, em linhas alternadas, numa sequência ordinal, perfilam-se horizontalmente, os dias dos meses gregorianos; numa das partes (frontal), os dias dos anos comuns (face A) e na outra, os dias dos anos bissextos (face B).

CARTELA EXTERNA (FIXA)

Na face A da cartela externa, estão impressos os 12 meses do calendário judaico; em contrapartida, na face B, os 13 meses dos anos considerados embolísmicos.

Os dias dos meses (29 ou 30), aparecem gravados em seqüência ordinal, dispostos longitudinalmente.

Como veremos a seguir, os espaços transpassados propiciarão aos usuários, a comparação e conseqüente conciliação dos dias gregorianos que situam-se na cartela interna.

TIRAS TRANSVERSAIS (IMPRESSAS COM OS DIAS DA SEMANA)

 Essas tiras transversais, móveis até o usuário encontrar o parâmetro procurado, contém em cada quadrículo, os dias das semanas, perfilados longitudinalmente, da esquerda para a direita.

A tira que desliza na cartela externa A, parte superior, têm 37 quadrículos, cada um indicando o respectivo dia da semana; por sua vez, no lado B, são 38 quadrículos.

A base que sustenta horizontalmente tais tiras, são as respectivas pontas, as quais, através de cortes verticais, penetram no interior da cartela externa.

No lado direito dessas tiras, na parte que fica no interior da cartela externa, localizam-se as siglas numéricas de 1 a 4.

Como sabemos, o ano civil judaico, em hipótese alguma, poderá ter o seu início (Primeiro de Tishrei) em um domingo, uma quarta ou sexta; por conseqüência, permitido aos sábados (1), segundas (2), terças (3) e quintas (4).

Felizmente, essas limitações já estão previstas nas codificações e são regularizadas pelos ajustes das tiras transversais.

Após a localização, através de um orifício vazado, na lateral direita, em cima da cartela externa, da sigla correspondente (A, B 1, A, B 2, A, B 3 ou A, B 4) a tira permanecerá fixa.

Com a tira devidamente posicionada, restará ao usuário, consultá-la, toda vez que queira correlacionar os dias mensais, judaicos ou gregorianos; a leitura, evidentemente, dar-se-á, verticalmente, nos respectivos quadrículos.

RACIONALIZAÇÃO DOS CALENDÁRIOS JUDAICOS (CARTELA EXTERNA)

Como vimos, somente 3 meses judaicos, Cheshvan, Kislev e Adar, flexionam-se; os restantes permanecem fixos.

Por conseguinte, por estarem entre os primeiros da série de meses, qualquer seqüência paralela de dias, no caso do calendário gregoriano, são automaticamente defasados.

Como fazer então, para aproveitar a seqüência dual (anos comuns e bissextos) do calendário gregoriano, estampado na cartela interna ?

A solução foi, embora desalinhados verticalmente, juntar a cada três linhas, os meses correspondentes; essa disposição propiciou que três tipos comuns de calendário judaicos fossem alocados na parte frontal da cartela externa (Face A) e os três embolísmicos, na outra (Face B).

Em síntese, em cada mês judaico, três tipos, não alinhados verticalmente, correspondem a uma seqüência de dias gregorianos, projetados através das "janelas".

Exemplo:  (CARTELA EXTERNA A)- CAJUPE

(Tira transversal)

      D S T Q Q S . S S D S T Q        

(Corpo intermediário da cartela externa A)

NISSAN   C 1 2 3 4 . . . 27 28 29 30 C          
NISSAN     D 1 2 3 4 . . . 27 28 29 30 D        
NISSAN       E 1 2 3 4 . . . 27 28 29 30 E      
      11 12 13 14 15 16 . 6 7 8 9 10 11   FEV. MAR. ABR

(O espaço acima é vazado sendo visto parte da cartela interna que desliza por entre o envelope conforme dados pesquisados)

Para o usuário, resta o cuidado de saber qual o tipo de calendário judaico esta sendo manipulado; se fosse o primeiro tipo (C), o dia Primeiro Nissan corresponderia ao dia 11 de março, um domingo, do calendário civil gregoriano, o segundo tipo (D) ao dia 12, uma segunda, o terceiro tipo (E) ao dia 1 uma terça, e assim por diante.

SIGLAS USADAS NO CAJUPE

Como vimos, o calendário judaico, correspondendo com o gregoriano, prevê a manipulação de 744 variáveis do sistema; a proposta em epígrafe, porém, se propõe a reduzir drasticamente tais perspectivas.

Além do formato físico, estrategicamente projetado para simplificar o processo, algumas siglas foram incorporadas ao projeto, no intuito de tornar o sistema mais operacional.

A sigla intermediária, composta de dois números, representa o dia do mês gregoriano que cai o Primeiro de Tishrei.

Finalmente, a última sigla, com uma só letra (C, D, E) indica ao usuário qual o tipo de mês judaico, impresso na cartela externa, que deverá correlacionar.

Como veremos a seguir, na prática, a utilização dos códigos será quase que automática; após alguns exemplos, o usuário estará apto a usar o CAJUPE  com maestria e, o melhor, com segurança e rapidez.

OS CÓDIGOS UTILIZADOS NO CAJUPE

Por definição, neste projeto, a palavra código caracterizará a conjunção de siglas.

O código é composto de três siglas, com um total de 5 dígitos; a primeira sigla do código à esquerda, com 2 dígitos, representa:

O alfa, corresponde ao tipo do ano judaico, se comum ou embolísmico; o numérico, ao dia da semana gregoriana que cai o Primeiro de Tishrei.

CODIFICAÇÃO DO CAJUPE- 5 DÍGITOS
1) DÍGITO NÚMERO 1 (ESQUERDA)- LETRA
A= ANO COMUM
B= ANO BISSEXTO OU EMBOLÍSMICO
2) DÍGITO NÚMERO 5 (DIREITA) - LETRA
C= ANO DEFECTIVO 353 DIAS (ANO COMUM) 383 (ANO BISSEXTO)
D= ANO REGULAR 354 DIAS (ANO COMUM) 384 (ANO BISSEXTO)
E= ANO ABUNDANTE 355 DIAS (ANO COMUM) 385 (ANO BISSEXTO)
3) DÍGITO NÚMERO 2 (ESQUERDA P/DIREITA)- NUMÉRICO
(INDICA O PRIMEIRO DIA DO ANO CIVIL JUDAICO-1 DE TISHREI)
1 SÁBADO
2 SEGUNDA-FEIRA
3 TERÇA-FEIRA
4 QUINTA-FEIRA
4) DÍGITOS NÚMEROS 3 E 4 (ESQUERDA P/ DIREITA)-NÚMEROS
(INDICA QUAL O DIA DO MÊS GREGORIANO QUE CAI O 1 DE TISHREI)

ANOS GREGORIANOS COMUNS

ANOS GREGORIANOS BISSEXTOS
3 DE SETEMBRO 3
4 4
5 5
6 6
7 7
. .
. .
. .
30 DE SETEMBRO 30
1 DE OUTUBRO 31
2 32
3 33
4 34
5 35
6 DE OUTUBRO 36
   
4 DE SETEMBRO 4
5 5
6 6
7 7
. .
. .
. .
30 DE SETEMBRO 30
1 DE OUTUBRO 1
2 2
3 3
4 4
5 DE OUTUBRO 5
   
5) SEQÜÊNCIA ORDINAL DOS MESES GREGORIANOS
(CARTELA INTERNA)
JANEIRO VERDE JULHO VERDE
FEVEREIRO AZUL AGOSTO AZUL
MARÇO VERMELHO SETEMBRO VERMELHO
ABRIL VERDE OUTUBRO VERDE
MAIO AZUL NOVEMBRO AZUL
JUNHO VERMELHO DEZEMBRO VERMELHO
6) RESUMO GERAL DAS PRINCIPAIS SIGLAS OU CÓDIGOS UTILIZADOS
CARTELA EXTERNA (FRENTE)
A= ANOS SIMPLES DE 12 MESES (P'SHUTÓT)
A1= ANO JUDAICO COMUM COM INICIO EM UM SÁBADO
A2= ANO JUDAICO COMUM COM INICIO EM UMA SEGUNDA-FEIRA
A3= ANO JUDAICO COMUM COM INICIO EM UMA TERÇA-FEIRA
A4= ANO JUDAICO COMUM COM INICIO EM UMA QUINTA-FEIRA
C= ANO JUDAICO COMUM (DEFECTIVO) DE 353 DIAS
D= ANO JUDAICO COMUM (REGULAR) DE 354 DIAS
E= ANO JUDAICO COMUM (ABUNDANTE) DE 355 DIAS
 
CARTELA EXTERNA (VERSO)
B= ANOS BISSEXTOS OU EMBOLÍSMICOS DE 13 MESES (M'UBARÓT)
B1= ANO JUDAICO BISSEXTO COM INÍCIO EM UM SÁBADO
B2= ANO JUDAICO BISSEXTO COM INÍCIO EM UMA SEGUNDA-FEIRA
B3= ANO JUDAICO BISSEXTO COM INÍCIO EM UMA TERÇA-FEIRA
 B4= ANO JUDAICO BISSEXTO COM INÍCIO EM UMA QUINTA-FEIRA
C= ANO JUDAICO BISSEXTO (DEFECTIVO) DE 383 DIAS
D= ANO JUDAICO BISSEXTO (REGULAR) DE 384 DIAS
E= ANO JUDAICO BISSEXTO (ABUNDANTE) DE 385 DIAS

MANIPULAÇÃO DO CAJUPE

Por mais informações contidas nos itens anteriores, é evidente que a manipulação física do CAJUPE será fundamental para o melhor entendimento sistêmico; juntamente com o calendário permanente judaico, anexamos um folheto, contendo todas as informações de manuseio, bem como uma relação inédita dos códigos CAJUPE, de 5344 (1583/1584), visto ter sido o calendário gregoriano introduzido em outubro de 1.582, até o ano judaico 6000 (2239/2240), ou seja, uma amplitude de 657 anos judaicos, relacionando todas    as sutilezas que envolvem os dois sistemas, em forma de siglas e códigos.

O importante, mesmo que o CAJUPE e a relação de per si, contenham informações preciosas, a conjugação dos dois é fundamental para a consolidação de qualquer pesquisa e análise do ciclo, ano ou período de 19 anos do calendário judaico  envolvido, correlacionado com o calendário gregoriano.