CALENDÁRIOS

ISLÂMICO

 

3) O CALENDÁRIO ISLÂMICO PROPRIAMENTE DITO

Antes da Era da Hégira, o calendário dos árabes era lunissolar, com 12 meses lunares, com adição de um mês intercalar, o qual, servia para conciliar, nos parâmetros da época, com o ciclo solar.

Consta que suas estruturas fundamentaram-se nos conhecimentos da chamada cosmologia primitiva, principalmente grega.

No entanto, Maomé, mediante as revelações obtidas, abominou as intercalações, embora conciliatórias, plenamente convencido que tais interferências no ciclo natural da Lua, contradizia a vontade de Deus.

O Profeta passou a exigir então, um calendário puramente lunar, sem inserções artificiais.

Todavia, a bem da verdade, não conseguimos estabelecer, com precisão, em que data foi introduzido o calendário que prevalece até os nossos dias e, quem foi o seu efetivo inventor.

Sabe-se porém, como já vimos, que a Era da Hégira (16/07/622) foi estabelecida por Omar I, segundo califa (634 a 644), em 632, posteriormente à morte de Maomé.

Como veremos detalhadamente, os calendarístas islâmicos admitem ser a revolução sinódica média da Lua, próximo a:

29,530555555... dias por lunação
Aceita-se a revolução sinódica da Lua atualmente como sendo de:

29,5305888531 dias médios por lunação

Ou seja, uma diferença de 2,87695584000 segundos por lunação ou, 1 dia a cada 30.031,743529 lunações, ou ainda, em 2.502,64529608 anos islâmicos.

4) SISTEMA OPERACIONAL

4.1- COMPOSIÇÃO DO ANO

O ano compõe-se de 12 meses (12 lunações) de 354 ou 355 dias; a nominação, ordem seqüencial e quantidades de dias é a seguinte:

1 Moharrem 30 dias
2 Záfar 29 dias
3 Rabi I 30 dias
4 Rabi II 29 dias
5 Yumada I 30 dias
6 Yumada II 29 dias
7 Reyeb 30 dias
8 Chaban 29 dias
9 Ramadán 30 dias
10 Chual 29 dias
11 Dulkada 30 dias
12 Dulhiya 29 ou 30 dias

Os meses, a partir de Moharrem (início do ano) têm, alternadamente, 30 ou 29 dias.

Os anos com 354 dias são comuns, e os com 355 são abundantes; o acréscimo de 1 dia ocorre sempre no último mês Dulhiya.

O começo de um dia é considerado ao pôr-do-sol ou seja, o dia é considerado a partir do pôr-do-sol do dia civil precedente.

Em síntese, para os não islâmicos, um dia convencionado de 24 horas, engloba, para exemplificar, a segunda metade da noite, todo o dia e, a primeira metade da noite, ou seja, a noite que é contínua, pertence na realidade a dois dias.

Para os não islâmicos, a passagem do ano, na hipótese de 1996 para 1997,  ao declinarmos a noite, teríamos de fazê-lo da seguinte forma:

A noite de 31/12/1996 para a noite de 01/01/1997

Já entre os islâmicos, por exemplo, a noite de Primeiro de Moharrem, primeiro dia do ano 1418 (09/05/1997), teve o seu início após o pôr-do sol, do dia 30 de Dulhiya (ano abundante), último dia do ano de 1417 (08/05/1997).

Atenção pois, principalmente historiadores, quando tratar-se de um acontecimento:

Por exemplo:-

Se um fato ocorreu, em uma noite do dia Primeiro de Rabi I do ano de 1040, comparativamente ao calendário gregoriano, o evento ocorreu após o pôr-do-sol do dia 8 de outubro de 1630, uma terça, para 9 de outubro, já numa quarta, da meia noite a alvorada.

O calendário em epígrafe é, de todos os calendários vigentes com tal alcance e prestígio, o único que podemos considerar de puramente lunar.

Teoricamente, todo o primeiro dia de cada mês, com seu início ao pôr-do-sol, será prenúncio de Lua Nova ou novilúnio visual.

Concluísse pois, que em um ano islâmico manifestam-se 12 lunações.

LUA

NOVA

 

Embora elementar para muitos, convém ressaltarmos que a Lua Nova astronômica, dá-se quando o astro encontra-se em conjunção, ou seja, entre a Terra e o Sol, fenômeno tecnicamente designado de:

 sizía inferior

Nesse instante, por motivos óbvios, não há possibilidade, sem instrumentação, de determinarmos essa manifestação; na prática, para a observação visual do início da fase, registra-se em média, o transcorrer de aproximadamente, 40 horas do instante da conjunção.

Tradicionalmente, as visadas, em cada lugar, para diagnosticar o surgimento dos primeiros reflexos da Lua, eram efetuadas por dois religiosos credenciados.

Atualmente, a data no qual Ramadán começa, pode variar de data do calendário e, a Lua Nova é observada do Observatório Naval, localizado no Cairo.

Gostaríamos, entretanto, de alertar o prezado visitante para o seguinte:

Divulga-se, mesmo existindo pouca literatura especifica sobre o assunto, de que o calendário islâmico flexiona-se apenas no último mês, o Dulhiya, passando de 29 para 30 dias, em 11 vezes em cada ciclo de 30 anos.

Tal afirmação não condiz com a veracidade sistêmica! Vejamos qual é o motivo.

Como vimos em linhas anteriores, entre o fenômeno tipicamente astronômico e o visual, em apenas algumas horas tal manifestação ocorre.

 Em decorrência de tal fato, e não poderia ser ao contrário, consta dos anais históricos, ser tal tema, um dos mais discutidos no Islã.

As observações festivas ou respeitosas, deveriam ser estipuladas mediante observações, conforme prescrição do Profeta, ou mediante cálculos astronômicos? 

Os ismaelitas, por exemplo, são de opinião divergente de outras ramificações que insistem categoricamente em OBSERVAR o aparecimento da Lua.

Por convenção, prevalecendo o bom senso, estabeleceu-se que o Ramadán terá o seu começo, na Lua Nova ou como queiram, no novilúnio, em observações visuais obtidas pelo Observatório Naval.

Essa determinação, sem afetar absolutamente as outras normas e procedimentos aplicados ao calendário, faz com que o mês de Ramadán dure 30 ou 29 dias e, o mês anterior, o Chaban, respectivamente 29 ou 30 dias.

Em síntese, quando Ramadán têm 29 dias, o mês de Chaban terá 30, não influenciando a quantidade de dias no ano. 

Exemplo:-

Em 1936 (Hégira 1355), Chaban teve 30 dias (15 de novembro, um domingo)

e

Ramadán 29 dias, sendo o dia Primeiro, 16 de novembrom uma segunda.

4.2- OS CICLOS DO CALENDÁRIO

O sistema de calendário islâmico, estrutura-se em um ciclo de 30 anos com um total de 360 meses e, conseqüentemente, o mesmo número de lunações.

Cada ciclo de 30 anos, compõe-se de um total de 10.631 dias, fazendo-se com que, cada lunação seja de 29,5305555555...dias médios, contra os 29,5305898531 dias médios aceitos pela astronomia.

Sendo os meses compostos seqüencial e, alternadamente, de 30 3 29 dias, recorreu-se a um artifício engenhosos e muito prático, para obter-se essa aproximação.

Sistematicamente, em cada ciclo de 30 anos, as seqüências dos 2,5,7,10,13,16,18,21,24,26 e 29 anos, constituem-se em anos abundantes, com o último mês do ano, Dulhiya, contendo 30 dias, na seguinte composição:

19 anos de 354 dias = 6.726 dias
11 anos de 355 dias = 3.905 dias
Ciclo de 30 anos = 10.631 dias

Oficialmente, o calendário e o ciclo, tiveram o seu início em 16 de julho do ano 622 da Era Comum, numa sexta- feira.

Atualmente, no ano de 2002/2003, 1423 ano islâmico, um ano comum de 354 dias, 13 da seqüência de 30 anos, estamos no 48 ciclo da Hégira.

O calendário lunar islâmico, prático e preciso, como vimos, de uma eventual defasagem de 1 dia em 2.502,6452969 anos, quando correlacionado com o calendário solar gregoriano (atual), apresenta-nos alguns elementos complicadores, os quais, observados com atenção, são de uma certa maneira, facilmente dirimidos.

O ciclo do calendário solar gregoriano é de 400 anos mais 1 dia; isso significa que a repetição dos dias dos meses com os dias das semanas, somente dar-se-ão, após transcorridos 146.097 dias.

Corresponder os dois sistemas, islâmicos e gregoriano, em seqüências cíclicas, é seguramente impraticável.

Todavia, se por alguma razão queiram estabelecer um período, onde os ciclos fossem harmônicos, poderiam recorrer do seguinte artifício:

Ciclo islâmico de 30 anos (10.631 dias) X ciclo gregoriano (146.097 dias) = 1.553.157.207 dias ou, 146.097 ciclos islâmicos de 30 anos ou, para finalizar 10.631 ciclos gregorianos de 400 anos mais 1 dia.

Independentemente da impossibilidade prática de se estabelecer harmonias cíclicas entre os sistemas,  para enriquecer com dados estatísticos o presente trabalho, divulgaremos um levantamento efetuado em 1500 anos islâmicos; pelo ineditismo, guardadas as devidas proporções, os dados que divulgaremos, de alguma forma poderão ser úteis: 

DIAS TRANSCORRIDOS EM 1500 ANOS ISLÂMICOS

(HÉGIRA 1 A 1500)

A) DA HÉGIRA 1 ATÉ O FINAL DO CALENDÁRIO JULIANO

(16/07/622-sexta-feira- até 4/10/1582-quinta-feira)

350.721 dias
B) DA INTRODUÇÃO DO CALENDÁRIO GREGORIANO  ATÉ O FINAL DO ANO DE 1999

(*) 15/10/1582 (sexta-feira) até 31/12/1999 (sexta-feira)

Nota:- a tabulação acima, 31/12/1999, é apenas circunstancial, não existindo nenhuma característica especial, a não ser, como marco de final do milênio

152.384 dias
C) DO ANO 2000 ATÉ FINAL DO CICLO 50

1/01/2000 (sábado) até 16/11/2077 (terça-feira)

28.445 dias
TOTAL DE DIAS EM 1500 ANOS ISLÂMICOS 531.550 dias

(*) Nem todos os países adotaram o calendário gregoriano na mesma data.

  

FREQÜÊNCIA DOS MESES EM QUE DEU-SE O PRIMEIRO DO ANO (PRIMEIRO DE MOHARREM)

(HÉGIRA 1 A 1500)

JANEIRO 129 ANOS
FEVEREIRO 117
MARÇO 127
ABRIL 124
MAIO 130
JUNHO 122
JULHO 129
AGOSTO 126
SETEMBRO 120
OUTUBRO 128
NOVEMBRO 120
DEZEMBRO 128
TOTAL 1.500 ANOS

 

FREQÜÊNCIA DOS DIAS NOS MESES EM QUE DEU-SE O PRIMEIRO DO ANO (PRIMEIRO DE MOHARREM)

(HÉGIRA 1 A 1500)

DIAS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16
JAN 3 5 4 6 3 2 5 5 3 6 3 3 5 6 2 5
FEV 4 5 3 4 3 7 3 3 5 4 3 7 2 4 5 4
MAR 4 4 6 3 4 4 5 5 4 2 5 2 6 4 4 4
ABR 6 3 3 6 3 4 6 3 3 5 4 5 4 2 5 4
MAIO 5 4 4 6 2 3 6 3 4 7 2 4 5 4 4 5
JUN 2 6 3 5 5 4 1 5 5 4 5 5 2 4 6 3
JUL 5 4 5 3 5 3 6 4 3 4 4 4 5 5 3 4
AGO 2 6 3 4 7 1 4 4 5 4 4 4 3 5 4 5
SET 4 2 3 6 3 6 5 1 4 6 3 5 4 2 5 5
OUT 3 5 5 3 4 3 5 4 6 3 2 5 5 3 6 2
NOV 1 4 3 6 4 4 4 3 4 4 6 3 3 5 4 3
DEZ 3 5 5 2 4 4 5 5 5 2 4 6 3 5 3 4
  42 53 47 54 47 45 55 45 51 51 45 53 47 49 51 48
DIAS 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31  
JAN 4 3 4 7 2 4 4 5 4 6 3 4 3 5 5 129
FEV 4 4 4 3 6 4 4 3 6 3 4 6       117
MAR 5 3 7 3 3 4 5 2 5 6 2 6 4 3 3 127
ABR 5 5 2 5 5 3 5 4 3 5 4 5 4 3   124
MAIO 3 3 6 3 5 4 4 3 5 4 4 3 6 4 5 130
JUN 4 5 2 5 6 3 4 6 2 5 5 3 4 3   122
JUL 4 5 4 5 2 4 5 5 3 4 4 3 6 5 3 129
AGO 3 4 4 4 4 5 2 5 5 5 2 5 3 4 6 126
SET 3 5 3 4 4 6 3 4 2 6 4 5 3 4   120
OUT 4 5 5 3 4 4 3 5 6 2 3 4 5 4 7 128
NOV 6 2 4 6 4 3 5 3 4 6 4 3 3 6   120
DEZ 4 5 3 6 2 5 5 4 4 4 3 4 6 3 5 128
  49 49 48 54 47 49 49 49 49 56 42 51 47 44 34 1.500

 

FREQÜÊNCIA DOS DIAS DAS SEMANAS EM QUE DEU-SE O PRIMEIRO DO ANO (PRIMEIRO DE MOHARREM)

(HÉGIRA 1 A 1500)

SEXTA-FEIRA 215
SÁBADO 213
DOMINGO 216
SEGUNDA-FEIRA 215
TERÇA-FEIRA 214
QUARTA-FEIRA 214
QUINTA-FEIRA 213
TOTAL 1.500 ANOS

Levando-se em consideração que o ciclo solar médio do calendário gregoriano corresponde a 365,2425 dias (146.097 dias/400 anos) e o ano lunar médio 354,3666666667 dias (10.631/30), também na média, a retroação do calendário islâmico para o gregoriano é anualmente de 10,8758333334 dias; isso corresponde a aproximadamente um ano gregoriano a cada 33,5829438358 anos.

Para consolidar os conhecimentos já adquiridos, convém esclarecermos ainda o seguinte:

Como já sabemos, o calendário islâmico, essencialmente lunar, em relação ao gregoriano que é solar, distancia-se anualmente, em média 10,876 dias, fator esse que torna o primeiro sistema muito especial.

Cada um dos 12 meses islâmicos e, conseqüentemente, cada um dos 354 ou 355 dias do ano, desliza pelo calendário gregoriano sistematicamente; qualquer data, em anos subseqüentes, incidirá automaticamente em todos os 12 meses gregorianos.

Em média, uma data do calendário islâmico, rotativamente, incidirá em dois ou três meses idênticos, do calendário gregoriano; com menor incidência é verdade, um acontecimento islâmico repetir-se-á em um mesmo ano gregoriano.

Por exemplo, o Ano Novo (Primeiro de Moharrem) de 1397 da Hégira e o 1398 foram celebrados em janeiro e dezembro, respectivamente nos dias 3 e 23 do ano de 1976.

Para se ter uma idéia, em 1500 anos islâmicos, essa particularidade ocorrerá apenas 44 vezes em 50 ciclos de 30 anos, ou seja, uma incidência em cada ciclo; as exceções, em número de 6, deram-se nos ciclos 5, 14, 23, 24, 33, e 42.

Para um perfeito entendimento dessa particular rotatividade, analisemos como se comporta o mês de Ramadán, o mês do jejum, um dos mais importantes para os adeptos, em relação as estações do ano e, por conseqüência, do calendário solar gregoriano.

Os ciclos escolhidos, por serem contemporâneos, foram os 48 e 49 (parcial), cobrindo do ano islâmico 1411 a 1445, correlacionados de 24 de julho de 1990 a 7 de julho de 2024 gregorianos; vejamos o resultado apurado no planilhamento a seguir:

ROTATIVIDADE DO MÊS SAGRADO DE RAMADÁN DURANTE AS ESTAÇÕES DO ANO (AMOSTRAGEM RETIRADA DOS CICLOS 48 E 49 -PARCIAL- DE 30 ANOS)
HÉGIRA PRIMEIRO

 DE

RAMADÁN

30 DE RAMADÁN ESTAÇÕES 

DO

ANO

1411 17/03/1991 15/04/1991 VERÃO/OUTONO
1412 5/03/1992 3/04/1992 VERÃO/OUTONO
1413 23/02/1993 24/03/1993 VERÃO/OUTONO
1414 12/02/1994 13/03/1994 VERÃO
1415 1/02/1995 2/03/1995 VERÃO
1416 22/01/1996 20/02/1996 VERÃO
1417 10/01/1997 8/02/1997 VERÃO
1418 31/12/1997 29/01/1998 VERÃO
1419 20/12/1998 18/01/1999 PRIMAVERA/VERÃO
1420 9/12/1999 7/01/2000 PRIMAVERA/VERÃO
1421 28/11/2000 27/12/2000 PRIMAVERA/VERÃO
1422 17/11/2001 16/12/2001 PRIMAVERA
1423 6/11/2002 5/12/2002 PRIMAVERA
1424 27/10/2003 25/11/2003 PRIMAVERA
1425 15/10/2004 13/11/2004 PRIMAVERA
1426 4/10/2005 2/11/2005 PRIMAVERA
1427 24/09/2006 23/10/2006 PRIMAVERA
1428 13/09/2007 12/10/2007 INVERNO/PRIMAVERA
1429 2/09/2008 1/10/2008 INVERNO/PRIMAVERA
1430 22/08/2009 20/09/2009 INVERNO
1431 11/08/2010 9/09/2010 INVERNO
1432 1/08/2011 20/08/2011 INVERNO
1433 20/07/2012 18/08/2012 INVERNO
1434 9/07/2013 7/08/2013 INVERNO
1435 29/06/2014 28/07/2014 INVERNO
1436 18/06/2015 17/07/2015 OUTONO/INVERNO
1437 7/06/2016 6/07/2016 OUTONO/INVERNO
1438 27/05/2017 25/06/2017 OUTONO/INVERNO
1439 16/05/2018 14/06/2018 OUTONO
1440 6/05/2019 4/06/2019 OUTONO
1441 24/04/2020 23/05/2020 OUTONO
1442 13/04/2021 12/05/2021 OUTONO
1443 3/04/2022 2/05/2022 OUTONO
1444 23/03/2023 21/04/2023 OUTONO
1445 11/03/2024 9/04/2024 VERÃO/OUTONO

Nota:- Conforme estudado, o mês de Ramadán, em alguns anos, para ajuste das lunações, poderá ter 29 dias; nessas hipóteses, adianta-se um dia gregoriano do Primeiro de Ramadán e retira-se um do 30 dia. Nesses casos, os dias das semanas do Primeiro de Ramadán serão idênticos ao 29 dias.

Sem aprofundarmos demasiadamente em detalhes, percebemos claramente na planilha acima, os seguintes aspectos:

O mês escolhido para análise, Ramadán, o Nono mês islâmico, constituindo-se de 29 ou 30 dias, rotaciona pelos 12 meses do ano solar gregoriano; conseqüentemente, faz com que as 4 estações do ano também deslizem.

Para facilitar as observações, no que diz respeito ao Hemisfério Sul, as 4 estações do ano manifestam-se como segue:

21/03 começo do outono
21/06 começo do inverno
23/09 começo da primavera
22/12 começo do verão

4.3- FESTAS RELIGIOSAS

As principais festas religiosas do islâmismo são:

O dia santificado é a sexta feira
O Ano Novo, no Primeiro de Moharrem (A Hégira, na véspera do dia Primeiro)
Achura (Ashuraa):- 10 de Moharrem
Morte do Profeta:- 28 de Zafar
Nascimento do Profeta (Mawlid al Nabi- 23 de abril de 571):- 12 de Rabi I
Primeiro ano da Hégira, 622 a.D:- 14 de Rabi II
Leilat Al Me'raj:- 26 de Reyeb
Leilat Nisf Sha'ban:- 15 de Chaban
Morte de Fátima, filha do Profeta (11 a.H):- 3 de Ramadán
Morte de Cadija, esposa do Profeta (58 a.H):- 17 de Ramadán
A revelação do Alcorão:- 24 de Ramadán (Ramadán é o mês do jejum)
A pequena Festa (Eid al-Fitr):- celebrada nos três primeiros dias do mês Chual
A Grande Festa (Eid al-Adha) ou Festa do Sacrifício:- 10 a 13 de Dulhiya

 


continua

Utilize o Comando Voltar do Seu browser