ALMANAQUE PRIDIE KALENDAS APRESENTA

 


 

 

 


DIFERENÇA ENTRE SER REI E NÃO O SER

Quando Carlos V fez a memorável abdicação da sua coroa teve antes de se recolher ao mosteiro, com Seldio, embaixador de seu irmão o imperador Fernando uma conferencia, que durou até á noite.

Seldio despediu-se de Carlos, que tocou a sineta chamando um criado para que viesse acompanhar o embaixador á escada, porém por mais que insistisse ninguém apareceu.

Carlos pegou então numa vela para iluminar a escada no que ele não queria consentir dizendo que não era próprio que um monarca tão poderoso tivesse com ele condescendências que até um seu igual recusaria. Provavelmente, num relance mental, Seldio pensou o seguinte:

- Incrível! Este homem, hoje alquebrado, foi rei da Espanha em 1516, imperador da Alemanha em 1519. Senhor de imensos domínios, da Espanha e de suas colônias, de uma parte da Itália, da Flandres, da Áustria, com certeza, posso conjeturar que o Sol nunca se escondia no seu império.

Depois desse lampejo mental, já no final da escada ouviu o monarca, com a voz ligeiramente embargada, dizer:

- Seldio, e não te esqueças de contar, quando eu partir deste mundo, que houve um imperador a quem conheceste cercado de exércitos poderosos, servido por nobres de primeira grandeza e acompanhado por brilhantes e destemidos guardas, que apenas renunciou o poder se viu abandonado até pelos criados, sendo obrigado a acompanhar um amigo até á porta da rua. Conheço que esta mudança de fortuna precede da Divina Providencia, que quer experimentar-me; mas espero poder continuar a resignar-me á vontade de Deus.

 

 (fonte)

Carlos V com o seu relojoeiro particular


Voltar